Semana da Sociologia


“O que faz um sociólogo?” Uma pergunta muito ouvida pelos estudantes de Sociologia, proveniente dos seus familiares e amigos não familiarizados com a ciência. Entre vários comentários, destacam-se os que afirmam a falta de saídas profissionais e que alegam as caixas de supermercado enquanto único destino profissional dos diplomados nesta área… Mas isto são mitos, senso comum. E como bons futuros sociólogos é o dever do NESISCTE romper com este senso comum que circunscreve a profissionalização da Sociologia!


Foi com o intuito de desconstruir os mitos à volta da profissionalização da Sociologia que o NESISCTE acolheu três turmas na penúltima semana de janeiro, no âmbito da atividade “Semana da Sociologia” organizada pelo Núcleo, com o apoio da Associação Portuguesa de Sociologia – APS. Uma turma da Escola Secundária Amélia Rey Colaço, na quinta-feira, e duas turmas da Escola Secundária Daniel Sampaio, na sexta-feira.


As visitas começaram com uma pequena tour pelo ISCTE, na qual se conversou e se trocaram impressões sobre os edifícios, não faltando o realce ao caráter labiríntico. Suficiente será dizer que para estes estudantes a diferença entre o meio escolar e o meio académico manifestou-se notoriamente. Após as visitas guiadas, os estudantes foram encaminhados para uma sala de aula onde decorreu a segunda etapa da atividade.

Esta etapa tratou-se da exposição e dinamização da apresentação “Um Olhar Sociológico Sobre o Mundo”. Uma vez que esta dinâmica é constituída por três partes, foi apenas dinamizada a segunda, correspondente à profissionalização da Sociologia. Neste sentido, foram abordados vários tópicos, tais como: as competências com que os sociólogos estão equipados e de que forma estas se constituem uma mais valia no mercado de trabalho; as diversas áreas e papéis profissionais dos diplomados em Sociologia; dados referentes à empregabilidade dos sociólogos e, ainda, testemunhos de diplomados.


Com esta apresentação, os estudantes foram levados a pensar sobre as competências que um sociólogo tem, a versatilidade destas e o porquê de não conhecerem muitos sociólogos no mercado de trabalho. Esta última é um reflexo do facto dos sociólogos exercerem os mais variados empregos, com diferentes designações profissionais, as quais raramente utilizam o título profissional de sociólogo.


Em tom de comprovação da tão falada versatilidade de competências que permitem aos sociólogos exercer um vasto leque de profissões, explorou-se o Portfólio Profissional dos Sociólogos. Este disponibiliza um largo número de registos individuais de profissionais no mercado de trabalho com formação universitária em Sociologia.

Ainda na parte dos testemunhos, de maneira a variar e dinamizar a apresentação, o final desta etapa da atividade contou com a intervenção da Professora Madalena Ramos, que deu o seu testemunho enquanto investigadora e professora universitária. Ademais, partilhou testemunhos apaixonantes de dois sociólogos que desempenham profissões fora do meio académico.


Com o final dos testemunhos fez-se um curto intervalo. Passou-se então à terceira e última etapa da atividade: um debate acerca do tema “A saída tardia de casa dos pais por parte dos jovens portugueses”, onde os estudantes participaram e deram as suas opiniões sobre o assunto sobre eles lançado. Após uma breve discussão, foram também apresentados alguns dados referentes ao estudo “Precariedade e Desigualdade: números e considerações sobre uma relação perversa” doe Renato Miguel do Carmo e Ana Raquel Matias (2018).

Estas visitas foram bastante importantes para promover a visibilidade da Sociologia e elucidar a população portuguesa estudante sobre a sua aplicabilidade no mercado de trabalho. Além disso, também permitiu aos alunos do secundário o conhecimento do mundo universitário. Os membros do núcleo procuraram, igualmente, demonstrar aos jovens a diversidade de atividades que poderão fazer na universidade, desde o associativismo ao voluntariado. A ideia foi passar a mensagem que a proatividade é crucial para o desenvolvimento de competências, as quais serão ferramentas fundamentais e valorizadas no mercado de trabalho, para além da área de estudos.


Esta apresentação foi, assim, significativa para todos os envolvidos, desde professores, membros e alunos. A atividade terá sido bem conseguida ao ponto de os estudantes terminarem a sessão com um novo olhar, não necessariamente um olhar sociológico, mas um olhar melhor, diferente, face à Sociologia e, particularmente, ao que os sociólogos fazem.

116 visualizações
  • Facebook
  • LinkedIn
  • Instagram